terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

EUA CONTINUAM A PENSAR QUE A AMÉRICA LATINA É O SEU QUINTAL






O governo argentino, liderado por Cristina Kirchner, retem, desde quarta-feira, um avião militar dos Estados Unidos, que pousou no aeroporto de Ezeiza, em Buenos Aires, contendo equipamento ultra-sofisticado de espionagem, armamento e drogas, que não tinham sido declarados às autoridades do país.

O executivo de Buenos Aires, citado pelas agências internacionais, frisou que 1/3 da carga do avião não foi, propositadamente, declarada.

Os membros da tripulação sustentaram que o equipamento se destinava a um sobre "técnicas de resgaste de reféns e material próprio para actuar em crises".
A Argentina não gostou, naturalmente, da justificação. E o material foi minuciosamente revistado e apreendido.
Certamente, as autoridades de Buenos Aires interrogaram-se sobre as verdadeiras intenções dos "democratas" norte-americanos: entregar material à polícia sem consultar o governo? Estavam a conspirar? Com quem ? É o que, possivelmente, se virá a saber dentro de meses.
Claro, os representantes do Império norte-americano ficaram fulos com a teimosia de um país soberano, que, na sua suprema opinião, não deveria sequer questionar se estavam a fazer espionagem.
O porta-voz da maquiavélica Hillary Clinton, o senhor que veio do jornalismo oficial chamado Philip J. Crowlwy, falou e manifestou "a perplexidade" da Secretaria de Estado com a retenção e apreensão do material.
Por seu turno. o subsecretário de Estado para a América Latina dos EUA, Arturo Valenzuela, considerou "desrespeitosa" a atitude do governo de Cristina Kirchner.
A resposta do ministro dos Negócios Estrangeiros argentino, Héctor Timerman, foi rápida: “A Argentina já sofreu dois atentados terroristas, por isso o país tem leis rígidas”.
E a interpretação pode vir a ser brutal, se os jornalistas perguntarem: "Quererá dizer com isso que os atentados terroristas, que foram assacados a islamistas, foram praticados pelos serviços secretos norte-americanos, e possivelmente, israelitas"?

Sem comentários:

Publicar um comentário